Página inicial

Cancer de próstata

Prostatectomia Radical Laparoscópica

O que é a prostatectomia radical laparoscópica:

Prostatectomia Radical Laparoscópica consiste na remoção completa da glândula prostática juntamente com as vesículas seminais sendo indicada para o tratamento do câncer de próstata localizado.

Quais são os pacientes candidatos a prostatectomia radical laparoscópica:

As indicações do procedimento laparoscópico são as mesmas da cirurgia aberta convencional. Em outras palavras qualquer paciente que tenha indicação de remoção cirúrgica da próstata pode fazê-la atraves de um método minimamente invasivo, incluindo pacientes obesos, pacientes com próstata volumosas (> 80g) e pacientes submetidos a tratamento hormonal prévio.

Quais são as vantagens da prostatectomia radical laparoscópica:

Menor morbidade círúrgica - Diferentemente da cirurgia aberta tradicional que resulta em uma incisão infra-umbilical de aproximadamente 20 cm, o procedimento laparoscópico é feito atraves de pequenas incisões de 0,5 - 1,0 cm, o que diminue a dor pós-operatória e permite um retorno mais rápido do paciente as suas atividades diárias normais.

Menor sangramento intra-operatório – Durante a prostatectomia aberta convencional é comum a ocorrência de um sangramento constante de origem venosa, o que rotineiramente resulta em perdas sanguineas estimadas entre 500 – 1000ml. Em contra-partida, a pressão do gás (CO2) utilizado para expandir a cavidade abdominal durante o procedimento laparoscópico tampona este sangramento de origem venosa resultando em um menor sangramento intra-operatório, raramente requerendo a realização de transfusão sanguinea (2% dos casos).

Menor tempo de uso de sonda no pós-operatória – Após a remoção da glândula prostática, se faz a reaproximação da bexiga com a uretra para se reestabelecer o trânsito de urina. Tradicionalmente esta aproximação vésico-uretral é feita com 4 – 8 pontos de sutura separados, o que resulta na permanência de um catéter uretral (sonda de Foley) por um período de 7 – 14 dias. Com o emprego da técnica laparoscópica, a anastomose (aproximação) da bexiga com a uretra é feita com 12 pontos de uma sutura contínua. Isto diminúi o extravasamento de urina no pós-operatório e permite a remoção da sonda de Foley no 3 ao 7 dia após a cirurgia.
Preservação da potência sexual - Devido a visão magnificada / ampliada e a excelente iluminação do campo operatório conferidas por câmeras e óticas de última geração, as estruturas anatômicas, como os feixes neurovasculares responsáveis pela eração peniana e potência sexual, podem ser identificados de forma precisa e meticulosamente preservadas com um grande potencial para preservação da ereção após a cirurgia.

Qual a eficácia oncológica do procedimento laparoscópico:

O objetivo do procedimento laparoscópico é de reproduzir, aperfeiçoar e melhorar os resultados obtidos com a técnica cirúrgica aberta tradicional. No que tange a eficácia no controle e erradicação do câncer o procedimento laparoscópico apresenta OS MESMOS RESULTADOS DE CURA sendo atingido níveis de PSA indetectável (<0,04ng/dl) no pós-operatório. Ressaltando que a próstata em conjunto com as ve´siculas seminais e os gânglios linfáticos são removidos de forma intacta através de uma incisão ao redor do umbigo, sendo posteriormente enviados para análise histopatológica final.

Mostra como é feita a preservação do feixe neuro-vascular durante a prostatectomia radical laparoscópica evidenciando como a magnificação da imagem proporcionada pelo uso da câmera de vídeo permite uma melhor identificação e preservação dos nervos responsáveis pela ereção.

Mostra como é feita a aproximação meticulosa da bexiga com a uretra após a remoção da próstata evidenciando como a realização de uma sutura contínua evita o extravasamento de urina permitindo a retirada precoce da sonda da bexiga.